terapeuta de emdr campinas psicologa nilda carvalho
_204451
Nilda Carvalho

Nilda Carvalho

Psicóloga e Terapeuta de EMDR
CRP - 112248

As dores emocionais corroem a alma.

Qual é a sua dor?

  • Depressão;
  • Estresse;
  • Ansiedade;
  • Fobias: falar em público, lugares fechados, lugares cheios, viajar de avião, usar elevador, bichos, insetos, etc.
  • Síndrome do pânico;
  • Dificuldades nos relacionamentos;
  • Autoavaliação negativa: “não sou bom o suficiente”, “não sou capaz”, “isso não é pra mim”, “nada dá certo pra mim”, “não mereço coisas boas”, etc.
  • Insegurança, timidez, sentimento de desvalia, de não merecimento, etc.
  • Dificuldade de aprendizado;
  • Disfunções sexuais;
  • Luto;
  • Outras.

Saiba que, o que está acontecendo com você hoje pode ser fruto de memórias do passado que estão armazenadas de forma disfuncional. Estas memórias estão sendo ativadas por situações atuais.

O que acontece hoje ativa, mesmo que inconsciente, recordações do passado. As emoções sentidas naquela época se misturam e potencializam as do presente.

Você já passou por alguma destas vivências?

  • Assalto;
  • Sequestro;
  • Abuso sexual ou físico;
  • Negligencia emocional;
  • Luto patológico;
  • Presenciou homicídio;
  • Experiência perturbadora com avião, barata, lugares fechados, etc;
  • Assédio no trabalho;
  • Sente-se que foi desamparado na infância, rejeitado, deixado de lado, preterido etc.
  • Faltou vínculo afetivo com algum dos seus cuidadores\pais;
  • Presenciou discussões dos seus pais\cuidadores;
  • Humilhação ou vergonha exacerbada enquanto criança ao ser exposta;
  • Cobrança exagerada dos pais\cuidadores;
  • Bulling;

Acontecimentos como estes geram um estresse exacerbado que nos deixam feridas emocionais que se expressam por meio de doenças, crenças limitantes, sentimentos inapropriados e outros.

Na terapia EMDR, a partir dos sintoma\queixa do presente que o paciente nos traz, buscamos conexões com memórias do passado para que possamos reprocessar e dessensibilizar esta lembrança, por meio dos movimentos oculares;

Em alguns casos o paciente não consegue fazer ligação dos sintomas do presente com algum acontecimento do passado, isto significa que o mecanismo de defesa do inconsciente está cumprindo o seu papel, impedindo a consciência de alcançar o conteúdo traumático.

Porém, mesmo diante desta situação é possível organizar o tratamento de forma que este mecanismo de defesa se atenue e permita o acesso às memórias patogênicas.

No reprocessamento das memórias traumáticas acontecem simultaneamente dois fatores: redução do incomodo provocado pela memória e em paralelo o paciente começa ter uma visão diferenciada de si, há uma mudança na autoavaliação e na percepção de si com o mundo.

Se antes se percebia vulnerável, desespenrançoso e impotente, a partir do reprocessamento inicia-se uma fase mais empoderada, com mais autocontrole e capacidade de fazer escolhas, com o olhar mais para o presente e futuro.

Saiba mais sobre reprocessamento das memórias traumáticas na aba: o que é EMDR e para que serve?

Cuide-se!

Invista em você!

Nilda Carvalho

Nilda Carvalho

Psicóloga e Terapeuta de EMDR
CRP - 112248

Não deixe de buscar ajuda de um psicólogo.

Gostou do Conteúdo? Comente, Compartilhe.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Falar com Nilda
1
Olá, tudo bem?
Oi, eu sou Nilda Carvalho - Psicóloga e Terapeuta de EMDR. Fale comigo, estou aqui para te ajudar 😉.